top of page
Buscar

Com paranaenses, Brasil leva bronze inédito no Mundial de Ginástica Rítmica

A Seleção Brasileira de Conjunto de Ginástica Rítmica alcançou uma conquista inédita e histórica: neste sábado (18), o Brasil conquistou o bronze no conjunto geral, na etapa de Atenas da Copa do Mundo. As paranaenses Giovana Silva (Associação Toledana - Toledo) e Nicole Pircio (ADR Unopar - Londrina) representaram o país ao lado da ginastas Maria Eduarda Arakaki, Sofia Madeira e Victória Borges, comandadas pela treinadora Camila Ferezin e auxiliar técnica Bruna Martins.


O ouro e a prata ficaram com Israel (65.450) e Bulgária (64.700), respectivamente. O Brasil já havia subido ao pódio duas vezes em etapas da Copa do Mundo de GR: conseguiu o bronze em Pesaro, na Itália, no ano passado, e em Minsk, a capital de Belarus, em 2013. No entanto, essas duas medalhas foram conquistadas na série mista. Nos Jogos Olímpicos, apenas a disputa no geral rende medalhas. A conquista neste final de semana, portanto, sinaliza que o Brasil se firma como candidato real ao pódio nos Jogos Olímpicos de Paris-2024.


Para se ter uma noção do feito brasileiro, foi a primeira vez em que uma equipe de fora da Europa e da Ásia conquistou uma medalha no geral em uma etapa de Copa do Mundo.


Muito emocionada com a conquista, a treinadora Camila Ferezin constatou que todo o planeta da GR já enxerga o Brasil com outros olhos. “Logo depois da nossa apresentação nos arcos, todos os outros times começaram a nos observar. Estão de olho na gente agora. Acho que esta é uma vitória de muitas entidades, de muita gente. Tivemos alguns problemas para formar esta equipe, mas conseguimos superá-los, porque temos 12 ginastas treinando lá em Aracaju. Esta é uma vitória das nossas meninas, da CBG, do COB, das Loterias CAIXA. Muita gente nos empurrou para chegarmos aonde estamos”, afirmou a treinadora.


Camila explicou ainda qual o significado da conquista. “Este resultado ratifica a medalha que conseguimos em Pesaro, confirma o que mostramos num excelente Mundial, no qual por pouco não subimos ao pódio. Estamos escrevendo a história por cima da história”, acrescentou.


Sempre atenta à possibilidade de ganho de qualquer décimo de ponto, a comissão técnica resolveu trocar a coreografia da série de cinco arcos, que já era nova, baseada na música “Fantasy On Ice”. “Aquela coreografia era belíssima, simulávamos movimentos de patinação e tudo. Mas aqui no exterior, os árbitros, torcedores e todo o público interessado em GR querem sempre o Brasil vindo com samba, alegria, nossa cultura. Aí pegamos essa música da Whitney Houston (I Wanna Dance With Somebody), que é um sucesso internacional, mas aproveitamos uma mixagem que tem uns toques de samba e funk e deu tudo certo. Ficou ótimo. Nossa coreografia é um convite para que dancem conosco”, disse Camila.

Informações: CBG.




121 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page